Busca:
Bem vindo(a) | Meu Cadastro | Loja Virtual | Carrinho de Compras (R$ 0,00)
Assine a Newsletter | Ouvidoria | Fale Conosco
Sua Aplicabilidade

Criado por Jacob Levy Moreno, médico romeno nascido em 1889, de origem judaica (sefaradim) e falecido em 1974 em Beacon/EUA, o PSICODRAMA é um método de intervenção e pesquisa nas relações interpessoais, na forma grupal e individual. O Psicodrama sob a ótica psicoterápica é desenvolvido em clínicas, hospitais e consultórios médicos - psicológicos. Em sua vertente educacional é muito difundido em escolas, empresas e instituições comunitárias. Na Universidade integra currículos de cursos de Psicologia, Medicina e Educação além de ser ministrado em cursos de pós-graduação.

PSICODRAMA no foco SÓCIO-EDUCACIONAL

TRABALHO SOCIAL COM PRESIDIARIOS

Na esfera social, surpreende o trabalho que tem sido feito nas prisões , tendo-se em vista a ressocialização do preso, o resgate de seu eu como pessoa, com revelações do tipo "eu não conseguia mais sentir nada", que nos emocionam e nos indicam a credibilidade do caminho

O trabalho psicodramático também tem ajudado as mães de presidiários a superar a dor da diferença e do preconceito, a aceitar as consequências de se ter um filho preso e a vencer com equilíbrio essa etapa, afastando a depressão.

DESEMPREGO

Outros projetos apontam para a população de baixa renda desempregada , visando o fortalecimento da esperança e o resgate de sua auto-estima, para que possam enfrentar com sucesso o processo seletivo.

Um trabalho que nos comove é o que tem sido feito com a população de rua da cidade. Descobre-se que sob aquela figura frágil e desamparada existe ainda um ser capaz de lutar, se receber uma mão.

Descobre-se que na rua há até portadores de diploma superior, que, desestruturados, não conseguem mais se resgatar: é onde atua o teatro espontâneo, favorecendo a

reconstrução das histórias de vida, a descoberta de novos interesses e talentos - é o homem desacreditado que recomeça a se dar importância, por se sentir ouvido.

Tem-se também trabalhado a população de rua de locais públicos através de pequenas intervenções de teatro espontâneo, promovendo o humor e a leveza de vida, como remédios preventivos da cidade e seus rígidos padrões de stress.

VIOLÊNCIA

O psicodrama também tem atuado no campo da violência doméstica , presente nas mais diversas classes sociais, por entender ser a família o foco transmissor de valores para a realidade social: as vítimas de hoje tendem a ampliar a agressão sofrida num futuro próximo.

PESQUISA

Na área da pesquisa o trabalho psicodramático tem manifestado resultados surpreendentes: como são resultados vivos tendem a espelhar de maneira muito mais sábia e profunda a realidade a ser explorada.

As estatísticas baseadas em números muitas vezes são distorcidas e diferem, em muito, daquelas auferidas em situações reais de vida.

Assim, com relação ao planejamento familiar e sexualidade , a realidade brasileira é riquíssima de múltiplas diferenças observadas de acordo com as crenças e ideologias de cada região brasileira. É impressionante ainda o desconhecimento de métodos contraceptivos, o número de meninas grávidas e prostituídas, a ignorância com relação à AIDS.

INDÍGENA

A prevenção das doenças sexuais transmissíveis e da AIDS vem ainda sendo trabalhada pelo PSICODRAMA diretamente com os indígenas , através da percepção de líderes naturais de aldeias, que se tornam agentes capazes de transformação da vida indígena promovida via dramatização de cenas que lhes são familiares.

SAÚDE

Entre as inúmeras aplicações do PSICODRAMA na área da saúde, temos a da medicina preventiva , onde se têm desenvolvido oficinas de stress/dort/ler , que procuram sensibilizar o grupo quanto às causas, possibilidade de prevenção e tratamento, despertando sua criatividade.

Para se ter uma idéia, no caso das ler/dort ( lesões decorrentes do trabalho ), dados mostram que 300.000 trabalhadores que moram em São Paulo têm a síndrome e outros 508.000 correm risco de desenvolvê-la. A "doença dos escribas", como era conhecida, se alastrou com a era da Informática e reestruturação das empresas e hoje há ler/dort em todas as categorias sociais.

Também as oficinas de transtornos alimentares com trabalhos psicodramáticos têm apresentado resultados muito incisivos: o Psicodrama permite que se estabeleça o ponto de conexão entre a desordem de origem alimentar e suas verdadeiras causas sabotadoras da auto-estima e de sua relação com a imagem. Assim, são refeitos valores e os hábitos são passíveis de transformação. É o indivíduo que se torna agente de seu diagnóstico e o resultado obtido difere, em muito, daquele obtido através do exercício da autoridade médica.

O Psicodrama também tem sido aplicado em comunidades carentes em centros de recuperação de crianças desnutridas , onde sensibilizou o envolvimento paterno e provocou uma melhoria da relação afetiva com os filhos, o que proporcionou uma busca de identidade e consequente desenvolvimento de auto-estima por parte dos pais. Em consequência, o número de crianças desnutridas caiu drasticamente e o Centro adotou o perfil de creche.

HOSPITAIS

Em hospitais o Psicodrama tem sido utilizado para resolver questões cotidianas referentes às equipes de trabalho hospitalares , melhorando as relações entre elas, identificando pontos de tensão e promovendo uma melhor avaliação de papéis, o que permite uma otimização da função interdisciplinar e o reconhecimento de sua importância.

Também têm sido realizados cursos de aperfeiçoamento de profissionais da saúde envolvidos no atendimento à família. O psicodrama permite uma melhor qualificação de pessoal envolvido na área ( gestação e pós-parto).

REINSERÇÃO SOCIAL

Em hospitais psiquiátricos, o trabalho psicodramático tem sido de extrema utilidade na reinserção social do indivíduo, pois permite o entendimento das vivências alucinatórias e delirantes do psicótico, promovendo o elo entre a realidade interna e o mundo exterior, através da percepção do momento responsável pela ruptura que o levou ao isolamento. O Psicodrama tem sido utilizado em hospitais psiquiátricos de São Paulo, integrado ao programa "hospital-dia", que é uma transição entre a internação integral e o ambulatório, visando a reabilitação psicossocial. Outro trabalho psicodramático realizados em hospitais psiquiátricos visando à reinserção social utiliza um teatro de bonecos para pessoas ali internadas, com o fim de promover a interação e comunicação de psicóticos, propiciando o desenvolvimento da relação e auto-expressão.

PSICODRAMA EM NAPS (Núcleo de Atenção Psicossocial)

É a nova proposta inserida na reforma antimanicomial, vivenciada no Brasil em saúde pública. Tem por finalidade atender pacientes mentais em equipe multidisciplinar, com proposta de semi-internato, junto ao "hospital-dia", como sistema ambulatorial.

Os grupos de psicodrama permitem um espaço de expressão do sofrimento causado pelas psicoses e consequente aceitação de si próprio pelo grupo e pela comunidade.

TURISMO

Na área de turismo , no Nordeste, o psicodrama pedagógico foi aplicado para desenvolver papéis e capacitar trinta jovens carentes a trabalhar como garçons, camareiras, contínuos, mensageiros, etc. Foram criadas situações reais de aprendizagem para o treinamento do papel profissional, no projeto denominado "Encantando o Turista", que teve grande parte de seus alunos contratada pelo setor de hotelaria.

EDUCAÇÃO

No ensino fundamental o Psicodrama tem sido utilizado para identificar razões e graus de agressividade presentes no grupo, além de revelar a capacidade de se lidar com realidade e fantasia.

Os professores de educação infantil têm sido trabalhados através do teatro e técnicas psicodramáticas objetivando a ampliação e enriquecimento das possibilidades metodológicas do ensino, da expressão e comunicação, desenvolvimento da criatividade e humanização da relação professor/aluno.

Na escola , em encontros bimestrais de pais , a metodologia psicodramática tem ajudado a intensificar a relação escola/família e, em reuniões pedagógicas mensais com os professores, tem aperfeiçoado a atuação e qualificação de profissionais através do treino de papéis.

O Psicodrama na sala de aula também tem trabalhado as relações entre adolescentes e seus grupos , evidenciando relações de exclusão e rejeição, identificando diferentes papéis existentes no grupo, propondo a transformação da sala de aula num espaço de relação afetiva entre aluno, professor e colegas, ressignificando vínculos.

PSICODRAMA no foco PSICOTERAPÊUTICO

TERCEIRO SETOR

De acordo com Moreno, em seu livro "As Palavras do Pai": "Eu comecei a encantar-me cada vez mais e a perguntar-me se além da responsabilidade por mim mesmo e os cuidados comigo próprio, a responsabilidade para com todas as pessoas mais próximas, meu pai e a minha mãe, minha irmã e meu irmão, meus amigos, as pessoas da minha cidade e de outros lugares...".

É o Psicodrama fundamentando a ideologia de projetos que dizem respeito à nossa responsabilidade em relação a outro ser humano. São trabalhos de caráter voluntário na área CLÍNICA INDIVIDUAL E INSTITUCIONAL , onde se utiliza a metodologia

psicodramática como o teatro espontâneo e a construção de imagens, tendo por objetivo a otimização do trabalho institucional, a dinâmica relacional da equipe e o desempenho de seus papéis.

CLÍNICA

Na clínica individual o psicodrama clássico deu origem à Psicoterapia da Relação e ao Psicodrama Interno . A Psicoterapia da Relação tornou as técnicas mais ágeis e rápidas, aplicadas em cenas do "aqui e agora", e que também têm a qualidade de presentificar cenas ocorridas no passado.

O Psicodrama Interno é o trabalho terapêutico de imagens visuais internas, realizado a partir de uma maior conscientização corporal, em que se atinge um estado alterado de consciência, onde a pessoa tem condição de se visualizar internamente, como se sonhasse acordado.

Na área clínica o Psicodrama também tem sido aplicado a portadores de deficiências físicas e/ou mentais com objetivos de resgate da auto-estima e da qualidade de vida, dando-lhes uma nova visão de sua auto-limitação, muitas vezes imposta pela própria sociedade, e capacitando-os de modo mais amplo para a vida.

Em Instituição de dependentes químicos , as técnicas psicodramáticas são utilizadas para que o indivíduo perceba a sua relação com a dependência da droga, seu papel na família, adquirindo, assim, maior consciência de seus conflitos.

Com relação à sexualidade técnicas psicodramáticas têm sido aplicadas com sucesso, em terapias de grupo tematizadas e por tempo limitado . Têm por finalidade o resgate da função sexual, através da avaliação dos vínculos afetivos e suas limitações, reconhecimento de dificuldades e do enfrentamento de situações temidas e incapacitantes.

A área de saúde sexual e reprodutiva também tem sido trabalhada em grupos ( sociodramas ), que escolhem questões que lhes interessam: namoros em todas as idades, sexo seguro, diferenças sexuais entre homens e mulheres, homossexualidade, são temas que mais aparecem.

Técnicas psicodramáticas têm sido aplicadas também em oficinas de transtornos alimentares ,onde são trabalhadas as representações ligadas à alimentação e auto-imagem, desvelando-se, assim, necessidades e carências fundamentais que a pessoa até então ignorava.

INSTITUCIONAL

Na área institucional, o psicodrama tem norteado projetos de prefeituras, objetivando melhor integração da equipe, com incentivo da criação coletiva, identificação de questões centrais em termos de planejamento, preparação para reuniões com a comunidade e outras áreas da administração

EMPRESA

Na área empresarial o psicodrama tem sido utilizado como coadjuvante em processos de seleção, através de técnicas como o role-playing ( jogo de papéis ).

Tem-se destacado, também, quando o objetivo é melhorar a relação de equipes , proporcionando melhorias no ambiente de trabalho , fazendo emergir situações conflitantes e possíveis soluções.

PSICODRAMA E ARTE NA DANÇA ESPONTÂNEA

Na dança espontânea estabelece-se uma conexão entre consciência corporal e expressão de sentimentos inerentes ao movimento, capazes de provocar ressonâncias na platéia, tendo-se o objetivo de unir a técnica e a teoria do Psicodrama à harmonia, ritmo e expressão da dança, aquecendo-se o público para a vivência psicodramática.

Segundo pesquisa realizada por Marina de Oliveira Costa.

 

Aplicabilidade do Psicodrama - Ações específicas e seus resultados

Tópicos relacionados:


1) Área Empresarial (empresas, universidades, etc). 
2) Área Institucional. 
3) Centro de Recuperação de crianças desnutridas. 
4) Clínica Individual e Institucional. 
5) Cursos de Aperfeiçoamento para profissinais da saúde. 
6) Dança Espontânea. 
7) Ensino Fundamental. 
8) Escola. 
9) Instituição de Dependentes Químicos 
10) Mães de Presidiários. 
11) Oficina de transtornos alimentares . 
12) Oficina do Stress    DORT/LER. 
13) Planejamento familiar e sexualidade. 
14) População de baixa renda desempregada. 
15) População de rua e locais públicos. 
16) População de rua - Projeto Integrarte. 
17) Portadores de deficiências físicas e mentais. 
18) Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e AIDS. 
19) Prisões. 
20) Professores de educação infantil. 
21) Questões cotidiandas referentes às equipes de trabalhos hospitalares. 
22) Reinserção Social. 
23) Relações entre adolescentes e seus grupos. 
24) Saúde Sexual e Reprodutiva. 
25) Sexualidade. 
26) Teatro de Bonecos. 
27) Terceiro Setor. 
28) Turismo. 
29) Violência Doméstica.


Área Empresarial

TEATRO:CRIAÇÃO E COMUNICAÇÃO-Sociodrama realizado em empresa de telecomunicação. 
Sociodrama realizado na Embratel, com o diretor regional , gerente de vendas, assistentes e consultoria técnica, grupo de nove pessoas ,(dez/00 a julho/01),cujo objetivo era promover a comunicação, interação pessoal e a criatividade. Após a fase de avaliação individual e grupal, começamos a trabalhar com o emergente: excessiva comunicação tecnológica,(bastante complexa para o atual mercado de trabalho),e a falta de um maior contato humano.

Focalizando-se as relações interpessoais daquele grupo profissional, através de técnicas de teatro e materiais plásticos, exercícios de relaxamento e auto-expressivos, puderam se evidenciar os conflitos e possíveis soluções Observamos , durante os encontros e no final do processo, uma crescente aproximação afetiva, uma maior percepção e cuidado, consigo e com o outro obtivemos também depoimentos de retomadas de reuniões mais produtivas e maior agilidade nos contatos, inclusão de neófitos no grupo e maior facilidade de expressão, além do interesse das pessoas em compreender e escrever (elaborar) sobre a experiencia vivida.

Apesar do processo ter sido interrompido prematuramente, em virtude de reestruturação da empresa, pôde-se notar a formação de uma base mais sólida que propiciou melhor elaboração das ansiedades e tomadas de decisão frente ao inesperado das mudanças.

ALCIONE MELO TRINDADE (CRP 02/4736) 
RECIFE -- PERNAMBUCO

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Objetivos

Atuar na Coordenação de Projetos de Responsabilidade Social, que levem a empresa para um caminho de excelência em relações humanas e sociais, reconhecida pela equipe interna e pela comunidade externa por esta excelência.

Ações específicas: 
Coordenação de Projetos junto ao corpo gerencial da empresa e junto aos empregados, a fim de aproximar as relações, proporcionando melhorias no ambiente de trabalho. Treinamentos, Grupos de Trabalho e Ações Pontuais são as principais atividades nestes projetos. 
Coordenação de Projetos junto à comunidade de referência- bairros, escolas municipais, entidades - a fim de prestar auxílio técnico em projetos educacionais e estruturais junto às comunidades, principalmente através do envolvimento voluntário dos empregados. Palestras, Workshops e estímulo ao Voluntariado são as principais atividades nestes Projetos.

Resultados: 
Através de técnicas de grupo e Sociodrama, estamos conseguindo gradativamente, fortalecer os Grupos de Trabalho, principalmente em seu caráter relacional, o que resulta num trabalho de melhor resultado.

O contato com a comunidade, principalmente nas escolas, através de palestras para professores e pais, é bastante positivo. O psicodrama tem sido utilizado principalmente para o fartalecimento de papéis, em ambos os casos.

Silvana Galvani Claudino


PSICODRAMA & UNIVERSIDADE

Diante das exigências cada vez maiores das Organizações, cabe ao profissional de Recursos Humanos rever e atualizar seus conhecimentos para conseguir oferecer propostas adequadas à realidade e que agregue valores à empresa. Hoje é necessário fazer a diferença.

A proposta deste trabalho é possibilitar ao estudante do curso de pós-graduação em Recursos Humanos vivenciar em sala de aula temas atualizados e pertinentes à sua atuação, possibilitando auto-conhecimento e conhecimento do outro, tendo em vista que saber trabalhar em grupo é fator predominante para sobrevivência das empresas e fundamental para o progresso do profissional.

Através dos Recursos Sócio-Psicodramáticos (Jornal vivo, Sociodrama, Jogos dramáticos, Teatro espontâneo e Role playing), é possível criar em sala de aula um ambiente protegido e próximo da realidade, facilitando trabalhos em grupo, discussões e debates, fornecendo subsídios para transferência dos conhecimentos adquiridos para a realidade das Organizações.

Psicodramatistas: José Maria de Morais 
Iara Rios Fidalgo (em formação).

Instituição: ABPS - Associação Brasileira de Psicodrama e Sociodrama

Dezembro/2001.

Índice


Área Institucional

Orçamento Participativo na Pref. Municipal de Campinas SP(promover a integração da equipe)

Alguns objetivos permeiam este trabalho: promover a sinergia na equipe gestora; prepará-la para reuniões com a comunidade e outros segmentos da administração; identificar questões que sejam centrais em termos de um planejamento de ações; coordenar reuniões entre essa equipe e outras da administração.

A metodologia utilizada tem sido a psicodramática, onde a criação coletiva se faz presente todo o tempo. Dentro dela, o rol playing muitas vezes.

Este trabalho vem se realizando deste o início de março de 2001, com encontros quinzenais no gabinete de vice-prefeitura ou em locais onde a equipe se reune com outras. O grupo conta com nove participantes, entre eles coordenadores, agentes que fazem a articulação com a comunidade e os responsáveis por agenda, comunicação e secretaria.

Tendo iniciado com o objetivo específico de promover a integração entre seus membros e prepará-los para uma primeira reunião com a comunidade, avaliamos que os resultados tem sido bastante positivos, pois demos continuidade e ampliamos os objetivos a serem alcançados.

Luiz Contro

Índice


Centro de Recuperação de crianças desnutridas

Centro Infantil Frei Tadeu, centro de recuperação de crianças (4m-6 anos) desnutridas (1991-1994), com 1º, 2º e 3º grau de desnutrição, 60 crianças (8h00 às 16h00), equipe: pediatra homeopata, enfermeira, assistente social, pedagoga, nutricionista, fisioterapeuta e uma psicóloga. O objetivo era avaliar crianças e encaminhá-las para atendimento especializado, capacitar as recreadoras e atender aos pais,além do planejamento de ações primárias junto à equipe, para inserção na comunidade e na instituição. Atendia crianças de risco e fazia acompanhamento individual e grupal de pais, sensibilizando-os para uma melhor relação afetiva com os filhos, além de cuidados primários, trabalhando com temas sugeridos por eles: sono, agressividade, sexualidade e promovendo assim o desenvolvimento do respectivo papel de pai. Observamos, no decorrer, que havia maior participação, conseqüente melhora no estado de saúde das crianças, quando os pais estavam envolvidos, pois estas mulheres e homens marginalizados da sociedade, começaram a ir buscar a sua identidade de cidadão,e as crianças, quando recuperadas, tinham sede de conhecimento intelectual e maior socialização. Funcionárias analfabetas procuraram se educar ou concluir os seus estudos, assim como ,emergiu um crescente sentimento de recuperação da auto-estima e busca por melhoria sociais e relacionais. A creche é ligada a Associação de moradores, e hoje em dia, o número de crianças desnutridas graves daquela comunidade, caiu drasticamente e o centro adotou o perfil de creche.

Alcione Melo Trindade (CRP 02/4736), Recife/PE.


Índice


Clínica Individual e Institucional

Supervisão Institucional na ONG SOS Adolescentes (Campinas SP) 
Tem por objetivo elucidar questões que perpassam por toda a instituição (sua dinâmica relacional, trabalhos em equipe, foco do trabalho, clareamento dos papéis), bem como facilitar o surgimento de alternativas frente a elas.

A metodologia psicodramática é que ajuda a estruturar as reuniões, onde, além de encontros em que somente a verbalização é utilizada, se faz presente o teatro espontâneo e a construção de imagens.

Essa supervisão se dá há dois anos e é de caráter voluntário. A equipe se constitui de técnicos, dirigentes e está aberta aos adolescentes e outros voluntários. Durante alguns meses, realizamos também uma supervisão mais técnica com os profissionais que coordenavam os grupos de adolescentes. Intercalávamos então, quinzenalmente, uma reunião e outra. Atualmente, realizamos somente a supervisão institucional, mensalmente.

Os resultados são avaliados como positivos, uma vez que algumas dinâmicas que estavam dificultando o trabalho em conjunto puderam ser abordadas. Algumas questões referentes aos papéis também foram elucidadas, provocando mudanças. A instituição caminha para a elaboração de um Planejamento Estratégico (que também será elaborado através de nossa coordenação), fruto da necessidade de se estabelecer objetivos e ações mais claras, vislumbradas através dessa supervisão.

Luiz Contro

Índice


Cursos de Aperfeiçoamento de Profissionais da saúde

Vitória Pamplona, Rio de Janeiro: 
Autora de 3 livros, o último lançado há um mês.preparação para a paternidade/maternidade através do psicodrama realiza cursos de preparação para a paternidade/maternidade para pais e cursos de aperfeiçoamento de profissionais de saúde, envolvidos no atendimento à família, na gestação e pós-parto. O psicodrama permite uma melhor qualificação dos envolvidos nesta área, por permitir uma compreensão e treino dos papéis de forma mais saudável e menos conservada. O trabalho desenvolvido com os profissionais da rede pública do Rio de Janeiro foi selecionado entre os 100 melhores trabalhos no Brasil, na área de saúde reprodutiva, para integrar o Cairo +5, que representa internacionalmente os melhores trabalhos executados nos últimos cinco anos, dentro do espírito da Conferência do Cairo, sobre saúde reprodutiva.

Índice


Dança esponânea

Musas difusas

É realizada pelo Grupo de dança espontânea (Ana Carolina de Oliveira Costa, Heriana Silva Fonseca, Jane Baccarelli, Maria Célia Malaquias e Otilia Françoso) e por Camila Salles Gonçalves. Na primeira parte, o grupo interpreta, por meio da dança, as musas, a partir de seus perfis em textos de mitologia grega. Em outras palavras, a dança expressiva do grupo é um novo modo de trazer o mito das musas. Ao som da Liturgia de Orfeu, apresenta uma alegoria dinâmica da criatividade, de seus impasses e do seu possível resgate. Na segunda parte, a platéia pode participar. Ocorre então o psicodrama (ou sociodrama) sob a forma de psicodança, que pode integrar ou dispensar a expressão corporal dos protagonistas (ninguém é pressionado para dançar). No ensaio aberto, realizado em dezembro de 2001, houve protagonistas que escolheram determinados momentos da apresentação que tocavam seus sentimentos e preferiram expressá-los também corporalmente. Ocorreram comentários espontâneos verbais e/ou corporais. Aconteceu um momento dionísiaco, de compartilhar por meio da dança (ou de compartilhar a dança). Foi ainda possível uma fase de comentários a respeito da proposta de trabalho.

Índice


Ensino Fundamental

TRABALHO REALI ZADO COM GRUPO DE ALUNOS DE 1ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL

Objetivo:

Buscar evidências de como foi o desenvolvimento da matriz de identidade e suas repercussões dentro de uma sala de aula. E se o não desenvolvimento satisfatório como repercute na fase em que o grupo se encontra.

Ações:

Aplicação de jogos dramáticos: Jogo do contorno, trabalhando o esquema corporal. Colagem com revistas, onde as crianças buscaram figuras que fossem parecidas com eles, para reconhecimento do eu. Jogo da jaula dos bichos, buscando a noção de respeito e limites e a dramatização do conto de fadas "João e Maria," para verificar a possibilidade das crianças jogar diferentes papéis e favorecer a inversão de papéis.

Resultados:

Após a aplicação dos jogos dramáticos pudemos verificar que o grupo mostrou dificuldades para trabalhar em grupo, não conseguindo terminar o primeiro jogo, por conta da agressividade presente no grupo. Durante as colagens também mostraram dificuldades em achar figuras parecidas com eles, como se não se reconhecessem. A partir do jogo das jaulas do bichos foi possível perceber a dinâmica do grupo, onde houve predomínio de vivências de fantasia sobrepondo a realidade, outros ignoraram o que estava acontecendo, brincando sozinhos, assobiando. Durante a dramatização houve dificuldades de entrarem no papel solicitado, misturando contexto grupal e dramático. Confirmando assim as hipóteses de indiferenciação da maioria, desenvolvimento da matriz de identidade em ambiente hostil, sendo a agressividade o único recurso para sobreviverem, único modelo que possuem para se relacionarem enquanto grupo e dificuldades de transitar entre a fantasia e a realidade.

Realizado por: Aparecida Francisca de Souza Freitas 
Izaura Benigno

Índice


ESCOLA

Tendo como base a visão de homem como ser social, espontâneo e criativo, utiliza a metodologia psicodramática como recurso fundamental no desenvolvimento da prática educacional na escola "Encontro - Centro Integrado de Desenvolvimento Infantil". 
O aplicação da metodologia psicodramática nas reuniões pedagógicas mensais com as professoras, possibilita a melhor atuação e qualificação dessas profissionais, pelo treino de papéis, pela maior compreensão dos processos relacionais, pela melhor percepção do outro incluindo, especialmente, o aluno, em seus aspectos emocional, afetivo, relacional, intelectual, corporal e cognitivo. 
Nos encontros bimestrais com pais, o uso dessa metodologia ajuda a estreitar as práticas educacionais-familiares, clareando propostas, atuações, experiências e internações. A possibilidade dos pais atuarem nesse processo de vivências e trocas de competências e conhecimentos, amplia, renova e transforma as expectativas e compromissos da escola e da família, no que diz respeito ao desenvolvimento e atendimento a criança (alunos-filhos), resultando em uma convivência mais produtiva, responsável e feliz.

Solange de Fátima Henriques Ferreiro/SP

Índice


Instituição de Dependentes Químicos

APLICAÇÃO DE TÉCNICAS PSICODRAMÁTICAS EM INSTITUIÇÃO DE DEPENDENTES QUÍMICOS.

OBJETIVOS:

Psicodiagnóstico, percepção da relação do indivíduo com a dependência química, percepção e vivência do paciente sobre seu relacionamento familiar.

AÇÃO:

Estrutura fluida, imagens, teatro espontâneo, inversão de papéis, caminhar psicodramático.

RESULTADOS:

Aceitação das técnicas, maior consciência dos conflitos, percebidos a partir das esculturas e imagens pois as pessoas podiam se ver/se perceber através do outro; no caminhar psicodramático ocorreu choro e abertura para verbalizar histórias vivenciadas pelo paciente, que antes não haviam sido contadas para ninguém.

ANDRÉA KORPS MARTINES SOLER 
Psicóloga psicodramatista em formação

Índice


Mães de Presidiários

Psicodrama com mães de presos 
Realizada na Cadeia Pública Manoel Luiz Ribeiro o Dacar 10 Praia Grande

Mães de presos participaram de jogos dramáticos.

O objetivo de programa é integrar e elevar a auto-estima das mães dos presos, por meios de 3 sessões coletivas. Também tem por finalidade preparar as mães para a receber seus filhos e ensinar ações preventivas úteis à ressocialização.

A ação se dá através de reuniões onde participam de jogos dramáticos e por exemplo de simulações de conversas com o filho, para que vejam novas alternativas de conduta.

O jogo as ajuda a combater o preconceito de marginalização a que ficaram sujeitos pela conduta dos filhos.

São realizadas 3 sessões com as mães, uma com os filhos e último acontece um encontro.

Aos resultados observados foram integração, vinculação e troca de experiências, inclusive entre os presos.

As mães declararam se sentir mais capazes e apoiadas por outras mulheres que passam pelo mesmo problema. Outras sentiram as reuniões de Psicodrama com o auxílio para superar a depressão.

"Estão tirando um peso enorme de cima de mim" (Judite Nunes da Silva, mãe de presidiário)


Maria Aparecida de Freitas Ferreira 
Assistente Social.

Índice


Oficina de Transtornos Alimentares. (Pasta Clínica-Saúde)

Há muito trabalho com orientaçao nutricional para obesos, magros que querem engordar e tambem para aqueles que desejam ter uma vida mais saudavel e prevenir enfermidades. Mas todos sabem que conquistar a mudanca comportamental é muito dificil e, quando se consegue, nao dura muito. Em parceria com a psicologa psicodramatista Luciana Rondon, organizamos grupos tematicos para abordar a questao dos transtornos alimentares. A expressao " transtornos alimentares" fica em aberto para quem se enquadrar e para qualquer interpretaçao. Fazemos uma entrevista com cada um dos interessados para avaliar sua capacidade de estar em grupo e seu interesse. O grupo é fechado, realizado em 10 sessoes de duas horas e meia cada. Existe uma programaçao previa para orientar o caminho, mas a criatividade fica por conta do grupo. Os temas guia sao imagem corporal, linha da vida para localizar as cenas onde se identificou o problema, cenas marcantes, relacionadas com os fatos da vida. Recebem orientaçao sobre a combinaçao de alimentos, sobre metabolismo e podem ver em que tipo se enquadram e qual seria a melhor conduta alimentar. O psicodrama permite visualizar as representaçoes ligadas à alimentaçao, à auto imagem , reviver as historias de vida onde os conceitos pessoais foram construidos .Permite ainda uma nova construcao de valores pessoais e reestruturação de habitos da forma que acharem melhor . Os resultados sao muito alentadores, pois as pessoas conseguem perceber onde e em que questoes estiveram amarradas e tornam-se capazes de tomar decisoes sobre suas dietas ou outras motivaçoes que descobrem como principais geradoras de seus conflitos. Em muitos casos descobre-se que os chamados transtornos alimentares encobriam outras necessidades mais importantes e fundamentais para as vidas dos participantes. Importante é tambem perceber que quando o individuo se torna protagonista de seu diagnostico, os resultados sao melhores que aqueles obtidos atraves do exercicio da autoridade medica.

Nazira Scaffi 
Homeeopata,ginecologista e obstreta pela Febrasgo; psicodramatista pelo Instituto Gaya de Campo Grande -MS.

Índice


Oficina de Stress/ DORT- LER

Célia Barbosa de Moura

Atuo na Coordenadoria Setorial de Saúde e Segurança do trabalho(CSSST)- RH- Prefeitura de Campinas há 05anos.

Missão da CSSST 
Através da antecipação, avaliação e neutralização dos riscos ambientais, promover a saúde do servidor mediante a prevenção, diagnóstico e controle de patologias relacionadas ao trabalho.

Oficina de Stress/ DORT- LER

Este trabalho faz parte das atividades desenvolvidas na CSSST, tendo por objetivo atuação junto aos servidores municipais, que estão expostos aos riscos ocupacionais, através de programas preventivos.

Consiste em trabalho de grupo, com educadores da rede Municipal, a fim de sensibilizá-los quantos às causas do Stress / DORT e possibilidades de prevenção, bem como de tratamento.

Através do Psicodrama, vivenciamos cenas do cotidiano que possibilitaram aos educadores refletirem sobre o seu papel na unidade, sua relação com alunos, funcionários, Diretor e Comunidade, bem como as ações que favoreceram a espontaneidade e criatividade (respostas novas a situações antigas).

Este trabalho foi desenvolvido na própria unidade educacional, favorecendo a integração e intimidade entre os profissionais, além de facilitarem as mudanças no ambiente de trabalho

Índice


Planejamento Familiar e Sexualidade

PESQUISA SOBRE PLANEJAMENTO FAMILIAR E SEXUALIDADE 
PASTORAL DA CRIANÇA 
FNUAP ( ORG UNICEF )

PROPOSTA:

Coletar dados para a construção de materiais informativos educacionais e comunicacionais em tema de planejamento familiar para grupos comunitários ( I.E.C.)

OBJETIVOS:

Através de pesquisa de campo qualitativa, usando "role-playing" tematizado, realizar vivências grupais para se obter conteúdos profundos sobre o que pensam as pessoas, seus sentimentos e maneira de agir na área da sexualidade e planejamento familiar em cinco estados brasileiros.

AÇÃO:

Trabalho psicodramático pedagógico, através do desempenho de papéis, onde os grupos colocaram histórias de suas vidas íntimas e da comunidade.

ESTRATÉGIAS:

Recursos lúdico-corporais, principalmente jogos e dramatizações: fotografia da família ou cenas familiares do cotidiano, focalizando sempre a proposta e o objetivo do projeto ( planejamento familiar ).

RESULTADOS:

Foram observadas diferenças múltiplas e significativas de cada região em relação a crenças, visões pessoais, ideologias, conhecimentos e comportamentos. Foram constatados o uso exagerado de drogas, falta de uso da camisinha, alto índice de alcoolismo, desconhecimento de métodos contraceptivos, jovens e crianças liberadas sexualmente, aumento de área de casos de Aids, abortos, laqueaduras, gravidez em mulheres-meninas, crianças abandonadas, mulheres com filhos de diferentes pais, muitas vezes largadas pelos maridos e alto índice de prostituição.

HERIALDE OLIVEIRA SILVA

Índice


PROJETO SOCIAL - "DESEMPREGO - RESGATANDO A AUTO-ESTIMA"

O mercado de trabalho está cada vez mais exigente e mais competitivo, não somente os melhores profissionais chegam lá, mas sim, aqueles que conseguem divulgar e destacar atitudes pessoais e talentos, ganhando cada vez mais importância. Portanto, é importante preparar-se para enfrentar este mercado de trabalho, lutar para ter oportunidade de competir.

Cientes da responsabilidade social, o Ano Internacional do Voluntariado e a conclusão da nossa formação como Psicodramatistas pela ABPS, optamos pelo desenvolvimento de um projeto social com a população desempregada de baixa renda, da região do bairro do Jabaquara, que busca uma recolocação no mercado de trabalho.

Pensando nisso, desde junho, a Associação Comercial - Distrital Jabaquara, por meio do Conselho da Mulher Empresária, adotou este projeto e está oferecendo um treinamento - workshop - com duração de 8 horas, totalmente gratuito, estruturado para quem está desempregado e coordenado por nós.

Objetivos e ações: 
Visando melhorar o desempenho do participante nos processos seletivos, por meio do fortalecimento da auto-estima, a oportunidade de reflexão, a troca de experiência, o trabalho estruturou-se com base em temas como globalização, etapas do processo seletivo (com ênfase na entrevista), elaboração do currículo, resgate de habilidades, papéis sociais e "dicas" sobre o mercado de trabalho, que são desenvolvidos por meio de jogos dramáticos, role plays e as técnicas próprias ao método psicodramatista.

Resultados: 
Os participantes chegam muito confusos em relação ao momento de transição que enfrentam, em um estado caótico, e rapidamente, por meio da metodologia utilizada, passam para um estágio de integração, onde a espontaneidade acaba predominando, emerge a auto confiança e, principalmente, durante o desenvolvimento do tema "Processos Seletivos", há uma intensa troca de depoimentos, experiências, tão rica, tão forte, capaz de garantir o desdobramento desta oficina de trabalho em outros encontros módulos.

É interessante observar a força que a teoria moreniana tem, e a visível transformação que ocorre com as pessoas, em curto espaço de tempo. Percebe-se que as conclusões e descobertas que emergem não se esgotam ao final do encontro, extrapolam um certificado de participação, um texto de apoio etc.

Reflexão e esperança são ingredientes, que cada um leva consigo e a certeza de que, apesar das exigências do mercado de trabalho e as limitações, cada um pode estar buscando novas alternativas, novos encontros.

Unidade Funcional: Sueli Maria Alves da Silva, psicóloga organizacional com pós-graduação em Recursos Humanos, sócio-diretora da DIADORIM - Consultoria de Recursos Humanos ( su_maria@terra.com.br) Moema Avellar Lisbão, assistente social, com especialização em Administração Industrial, pós-graduação em Recursos Humanos, atuante em consultoria na área educacional ( lisbao@uol.com.br).

Índice


PROJETO DE RUA & CIDADANIA

JUSTIFICATIVA:

Jacob Levy Moreno, médico criador do psicodrama propunha a popularização da prevenção como política de saúde. Postulou que a saúde emocional é diretamente proporcional ao fator espontaneidade do indivíduo e propôs o "treinamento da espontaneidade" como instrumento de prevenção. Criou também o psicodrama público, através do qual o protagonista é tratado diante de uma platéia, "rasgando suas feridas" e ressignificando-as, a fim de que cada nova cena possa liberta-lo da anterior. O público tem aí o importante papel de contexto social, de onde provem a doença e para onde retorna o protagosnista.

Por outro lado, temos estudado psicopatologias concomitantes com padrões de codependência tais como o transtorno da conduta, doenças crônicas e a dependência química, que além de genótipos, combinam-se com fatores ambientais na sua evolução, e com padrões rígidos contra mudanças naturais de desenvolvimento.

Além disto, o riso tem sido estudado cuidadosamente como elemento terapêutico, tanto em hospitais como outros locais de saúde.

Pretende-se neste projeto combinar tais fatores e lançar mão do humor como elemento de prevenção, de descontração contra o estresse cotidiano, direcionando-o à população em geral.

OBJETIVOS:

Trabalhar com prevenção focal com fatia popular aleatória através do humor. Estudar possíveis efeitos de rápidas e únicas intervenções via teatro espontâneo em locais públicos. Intervir brevemente com humor a fim de quebrar rígidos padrões de estressa como forma de prevenção a saúde.

Diagnosticar e orientar sobre cidadania e temas pertinentes a educação e saúde, frente às necessidades dos envolvidos diretamente no teatro espontâneo, no "aqui e agora" local.

POPULAÇÃO":

Transeuntes em locais públicos tais como ruas, shopping, terminais rodoviários e/ou escolas, empresas, centros de saúde e outros.

CRONOGRAMA:

- Março a dezembro: intervenção semanais em diferentes locais da cidade. 
- Março: preparação de instrumentos de pesquisa sobre efeitos da intervenção 
- Junho: pré-avaliação e redirecionamento da pesquisa 
- Dezembro: avaliação do trabalho e da pesquisa.

AÇÃO:

Teatro espontâneo breve 
Medida de sinais vitais pré e pós intervenção. 
Coleta de informação via instrumento de pesquisa.

Índice


População de rua - Projeto INTEGRARTE


"A população em situação de rua assistida na Casa de Convivência Projeto Integrarte - uma entidade filantrópica, conveniada a Prefeitura do Município de São Paulo (Secretária da Assistência Social) - abrange pessoas provenientes das mais diversas realidades sócio-econômica-culturais que as retiram do corpo social. Uma parcela da população usuária manifesta transtornos mentais, emocionais ou físicos, em sua grande maioria, apresenta problemas com Alcoolismo e Farmacodependências.

Através do Teatro espontâneo, a implantação de uma metodologia sócio-educativa, propiciando o resgate da auto-estima do grupo quanto aos aspectos das história de vida de cada participante; facilitando a adequação das relações interpessoais, contribuindo para desenvolver conceitos básicos de cidadania e saúde, criando um ambiente favorável às relações saudáveis que correspondesse às necessidades e expectativas atuais".

Grupo Encernate da ABPS de São Paulo 
Martha Elisa Lemos de Carvalho

Índice

 

PSICODRAMA APLICADO A PORTADORES DE DEFICIÊNCIAS: FÍSICA E/OU MENTAL

O objetivo da prática psicodramática com portadores de deficiências tem como foco principal, além do trabalho terapêutico propriamente dito, resgatar a auto-estima e qualidade de vida, muitas vezes perdidas, no transcorrer da vida, não só pela conserva cultural , como também, por atitudes tomadas pela sociedade que tocam diretamente no emocional do portador.

Os fundamentos técnicos e teóricos do Psicodrama em nada diferem neste trabalho. A diferença principal dá-se na ação já que, algumas adaptações acabam tendo de ser feitas. Com um indíviduo que se locomova em cadeiras de rodas, devemos evitar, por exemplo, a utilização de almofadas para uma tomada de papéis. Podemos demarcar um local específico no consultório ou trabalhar com materiais que não atrapalhem a sua locomoção.

Por fim, os resultados deste trabalho cada vez mais me surpreendem. O aprender a se olhar de um modo mais amplo, não só com a deficiência mas, também com qualidades e capacidades próprias, fazem com que, pacientes meus tidos como deficientes mentais, hoje estejam inseridos na escola e no mercado de trabalho assim como, portadores de paraplegias, estejam casados, formados e dedicando-se à prática desportiva.


Beatriz Regina Costa Pawel 
Psicóloga Clínica com especialização em Psicodrama 
Terapêutico pelo Instituto Sedes Sapientiae. 
brpawel@ig.com.br

Índice


Psicodrama com Indígenas - Prevenção de DST/AIDS

O Psicodrama vem sendo trabalhado diretamente em indígenas, ou através de capacitação de agentes que trabalhem com estas populações. Através da percepção de líderes naturais das aldeias trabalha-se a prevenção de DST/AIDS, e temas com a saúde, sexualidade, organizacional social e questões próprias relativos a esta população.

Os objetivos se direcionam a melhorar a qualidade de vida das indígenas no que diz respeito à saúde, sexualidade, (prevenção de DST e AIDS) e ao papel de mulher na organização social das aldeias.

A ação é feita através de planejamentos estratégicos participativos que auxiliam os agentes a transmitir os conceitos, através de álbuns seriados, que permitem a reprodução de vivências com as famílias e população das aldeias. São feitas dramatizações com cenas da vida indígena a fim de que os profissionais possam visualizar as questões próprias desta população e possa ser trabalhada inclusive a questão de sua organização social.

Nazira Scaffi, Campo Grande, MS

Índice


PRISÕES: Processos educativos na prevenção de DST e AIDS

Sua ação preocupa-se em ressocializar o ser humano, trabalhando seus aspectos bio-psico-sociais para o retorno à sociedade, para prevenção de DST e AIDS e resgate de auto estima dos prisioneiros e seus familiares. "Nem mesmo a hostilidade do presídio, com sua ideologia primitiva, seus muros de concreto, com suas celas angustiantes e seus moradores "marginalizados" puderam resistir a capacidade de interferência e provocação do teatro. Pelo contrario, todas esses elementos e outros tantos desafios confirmaram a necessidade de atividades deste caráter, porque o teatro envolve, revela, chama a atenção, questiona, faz-se perceber, transgride, aproxima os diferentes, protesta e faz-nos apaixonar (Jorge Spninola)

Objetivos:

Prevenção DST (Doenças Sexuais Transmissíveis) e AIDS através do teatro

Ação:

Oficinas de 7 dias, onde através de vivências e jogos psicodramáticos (role playing), os presos vivenciam como é ser um aidético, como é conviver com todas as dificuldades, preconceitos e sofrimentos que a situação acarreta.

Resultados:

Após experienciarem o papel de portadores do H.I.V. os próprios presos se compenetravam da responsabilidade de evitar as situações de risco, pois passaram a sentir na pele o perigo. Começaram a trocar informações na própria cela, a trocar experiências com os familiares em dias de vista estendendo, assim, os benifícios do conhecimento adquirido.

TEATRO NAS PRISÕES:

FUNAP (Fundação Dr. Manoel Pedro Pimentel) E COC (Centro de Observação Criminilógica)

Estabelecimento criado pela lei de execução Penal único no estado de São Paulo, cuja finalidade é realizar pesquisas e exames criminológicos de classificar o condenado para distribuição por grupos análogos aos Estabelecimentos Penais. Atende uma população do sexo masculino em cumprimento de pena de reclusão em regime fechado e em sua AÇÃO PREOCUP-SE EM RESSOCIALIZAR O SER HUMANO TRABALHNDO SEUS ASPECTOS BIO-PSCICO-SOCIAIS PARA O RETORNO À SOCIEDADE. Projeto drama: um projeto educativo através do teatro Projeto drama: direitos humano em cena (Augusto Boal) Projetos de apresentação de peças teatrais (Jorge Spninola).

Objetivos:

Buscar alternativas e sugerir mudanças dentro do sistema penal. Dar voz a todos aqueles que vivem e trabalham no sistema penitenciário: os presidiários,suas famílias, as vítimas e os guardas Resgate da verdadeira identidade (uma vez o espaço teatral é entendido como um espaço de não/punição e não/avaliação do preso, transforma-se em poderoso instrumento de retirada de máscara).

Ação:

Técnicas de Teatro-Forum para que os participantes possam descobrir maneiras de garantir seus direitos e preservar o de outros. Foram criados vários espaços (Oficinas de Direitos Humanos, Diálogos Dramáticos, Debate Fórum Público) de debate, descobertas e aprendizado sobre a temática. Nestes espaços, os participantes apresentam cenas conflitantes e a platéia pode intervir, propondo alternativas através da intervenção teatral (Sociodrama/ Teatro Espontâneo).

Resultados:

Foi observada grande seriedade por parte dos presos ao assumirem o trabalho de representação dramática. Três peças foram encenadas: "O Auto da Compadecida", de Ariano Suassuna em 1998/1999", "A Pena e a Lei", também de Suassuna em 1999 e "O Rei da Vela", de Oswald de Andrade de 2001, sob a direção de Jorge Spinola. Aprenderam a lidar com as diferenças, começaram a acreditar em si mesmos. Esse resgate de auto-estima propiciou também a crença na possibilidade de um novo projeto de vida. No fim da encenação do "Rei da Vela", no teatro Oficina (SP-2001), um dos atores gritava (sentindo os aplausos e o sucesso de sua obra): "Eu sou gente, eu sou gente!" O fato dos atores serem presos torna o grupo muito especial. Todos tem história de vidas muito intensas, cumprem penas longas, vivenciam a experiência radical que é permanecer trancados em um estabelecimento penitenciário. A experiência do teatro para esses homens é muito radical e profunda.

Índice


PROCESSOS EDUCATIVOS ATRAVÉS DO TEATRO 
PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARULHOS

"É importante preparar o homem... por meio de uma educação autêntica: uma educação que liberte, que não adapte, domestique ou subjugue" 
Paulo Freire

O teatro como forma de educação propicia o desenvolvimento da espontaneidade, ampliando a capacidade de compreensão e criação textual (considerando aqui a expressão de frases e o contar histórias), além de facilitar a aprendizagem de outros conteúdos educacionais 
Público Alvo: professores de educação infantil ( 4 a 5 anos) da rede pública municipal de Guarulhos.

Objetivos:

Ampliar as possibilidades metodológicas de ensino da expressão e comunicação, e do desenvolvimento da criatividade e da participação.


Ação :

Através de jogos que propiciem a tomada e inversão de papeis a fim de que os professores experimentem como é "ser a criança".

Através de objetos intermediários principalmente fantoches construídos pelas proprias crianças , cria-se e transforma-se os personagens de suas estórias , desenvolvendo-se a espontaneidade , autonomia e descoberta dos sentidos.

Resultados: os educadores encontram novas formas de lidar com os conteúdos, ampliando o seu conhecimento sobre a forma de pensar e de agir da criança, humanizando assim a relação professor-aluno.

A criança também apresenta respostas mais rápidas e criativas, pois o teatro propicia a sua mais efetiva expressão .

Sonia Rusche( psicodramatista)

Índice


Trabalho com equipes hospitalares

Grupos de apoio para o processo de trabalho - Hospital Mário Gatti (Campinas SP) Esta atividade tem por objetivo abordar questões referentes ao dia-a-dia do trabalho das equipes do referido hospital, no sentido de melhorar as relações intra e inter-equipes; apontar alternativas práticas frente às dificuldades do cotidiano e promover uma maior clareza quanto aos papéis e funções.

A metodologia utilizada tem sido a psicodramática, mesmo quando só fazemos encontros verbais, pois os princípios da criação coletiva são sempre norteadores (o nome, por ex., "Grupos de apoio...", foi dado pelas cozinheiras e copeiras). Processos de acumulação individual e grupal também tem sido utilizados.

Este processo no hospital já atingiu as equipes dos Agentes de Limpeza, das Cozinheiras e Copeiras e atualmente estamos com as Nutricionistas, tendo iniciado em fevereiro de 2001, em encontros quinzenais.

Avalio os resultados como positivos, uma vez que permite identificar pontos de tensão relacional e permite abordá-los (sempre tendo como foco as relações de trabalho), e que tem melhor delineado papéis, bem como a importância do trabalho em equipe numa instituição como essa.

Luiz Contro

Índice


Programa de reinserção social de indivíduos portadores de transtorno psíquico.

A experiência vem sendo desenvolvida num Centro de Atenção Psicossocial, instituição do serviço público que se propõe a tratar indivíduos psicóticos e neuróticos graves em regime aberto, sem afastá-los do convívio social, visando a reinserção.

Desenvolvemos o que chamamos Sociodrama Multifamiliar Tematizado cuja proposta é o atendimento em grupos compostos por diferentes famílias, incluindo a presença do portador de transtorno psíquico.

É tematizado porque a cada final de sessão é escolhido, pelo grupo, um tema para ser abordado na sessão seguinte.

Pudemos observar como resultados que: 
a) O psicodrama colabora na reinserção ao propor o tratamento do indivíduo em grupo; 
b) A escolha de temas possibilita que o enfoque saia do paciente identificado e passe a ser das relações familiares; 
c) O método psicodramático facilita a compreensão dos fenômenos interacionais possibilitando, às famílias, o redimensionamento dos problemas familiares; 
d) Funciona como treino para a vida em sociedade e amplia o átomo social do portador de transtorno mental; 
e) Intervém na dinâmica relacional da família possibilitando a comunicação; 
f) Aceitando os delírios e alucinações , permite redimensioná-los na vida do indivíduo e do seu grupo familiar; 
g) Ao tratar uma família, todas as outras são beneficiadas, ou por viverem situações semelhantes, ou por aprenderem a a lidar com as dificuldades enfrentadas.


Isabel Barbosa

Índice

Psicoterapia de Grupo com psicóticos: psicodrama no hospital psiquiátrico

Luís Altenfelder, São Paulo/SP: Autor do livro "Psicoterapia de grupo com psicóticos: psicodrama no hospital psiquiátrico", lançado há alguns meses. O que faço no HC e HSPE é trabalho com reabilitação psicossocial. Trata-se de um programa de reabilitação de pacientes que passaram por um surto psicótico e que ainda apresentam sequelas. Este programa é realizado através de várias atividades grupais, como: grupo de terapia ocupacional, grupo de atividade física, grupo de vídeo, grupo de psicoterapia verbal, grupo de terapia familiar e grupo de psicodrama.

Nos dois hospitais este programa funciona junto com o hospital-dia, que é uma transição entre a internação integral e o ambulatório, destinando-se aos pacientes que ainda necessitam de uma atenção médica e de enfermagem mais constantes. O paciente permanece no hospital das 8 as 16 horas e vai para casa, retornando no dia seguinte , como se fosse ao trabalho. As atividades também são preponderantemente grupais e dentre elas o psicodrama, onde procura-se tratar o paciente mesmo na vigência do surto psicótico, buscando que entenda seus sintomas alucinatórios e delirantes com um nexo com sua história de vida.

TEATRO ESPONTÂNEO COM POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA 
A experiência envolveu uma gradual aproximação da realidade da população itinerante de rua, através da criação de um espaço de convivência que colaborou para que a mesma refletisse, na prática, sobre atitudes, valores, procedimentos, posicionamentos e maneiras de se colocar no mundo. Considerando os universos afetivo e cognitivo, investigou-se a forma de vida que levam, identificando sentimentos, interesses, necessidades e preocupações predominantes de vida, na condição permanente de expostos, vulneráveis, marginalizados, sobretudo, humanos.

Através do Teatro Espontâneo, buscou-se a sensibilização do grupo, para implantação de uma metodologia sócio-educativa objetivando o resgate de auto-estima, adequação das relações interpessoais, além do desenvolvimento de conceitos básicos de cidadania e saúde. Daí o interesse e preocupação em estabelecer um atendimento diferenciado, num ambiente propício ao desenvolvimento da criatividade e espontaneidade humanas. Assim, a arte dramática foi a estratégia para alcançar os devidos fins.

O trabalho proposto compreendeu uma experiência real e transformadora com tal população, contribuindo para uma forma mais adequada de atuação a partir da melhoria na percepção de si mesmo e das outras pessoas, possibilitando uma vivência momentânea reparadora ou significativa de aspectos da identidade e dignidade humanas.

Índice


O PSICODRAMA NA SALA DE AULA DOS ADOLESCENTES: UM OLHAR PARA O MOVIMENTO PROTAGÔNICO DO GRUPO

Os profissionais de educação têm utilizado a metodologia psicodramática como um recurso didático importante no trabalho com os conflitos existentes, entre os adolescentes, no dia-a-dia da sala de aula e da escola. O trabalho com grupos tem-se mostrado como real possibilidade de modificar as relações entre os adolescentes e seus grupos. Transformar a sala de aula num espaço de relação afetiva entre aluno, professor e colegas, permitir que o clima de trabalho favoreça a aprendizagem de todo o grupo sem interferências indesejáveis durante a execução da proposta, trabalhar com a auto-estima do aluno, com as relações dos diferentes grupos que compõem uma sala, explicitar os conflitos especialmente as relações de exclusão e rejeição para a transformação desses papéis, identificar os diferentes papéis existentes no grupo, explicitar ou construir numa ação conjunta a identidade de grupos e da classe, possibilitar ao aluno e ao professor uma nova visão das relações no desempenho de seus diferentes papéis, esses e outros mais, são objetivos traçados como metas de um trabalho efetivo.

O olhar para o movimento protagônico do grupo amplia as possibilidades para a re-significação dos vínculos existentes. Rompem-se conservas que a longo tempo permaneciam presentes pelos anos de convivência do grupo na escola, aproximam os interlocutores.

As inúmeras e inusitadas situações do dia-a-dia da sala de aula e da escola exigem do educador uma atuação qualificada para que seja transformadora.

Teresinha M. Dezen Gaiolla, Campinas/SP

Índice


Saúde Sexual e Reprodutiva 
Oficina de Saúde e Sexualidade para adultos e adolescentes

Organizamos grupos na periferia da cidade de Campo Grande para trabalhar 
saude sexual e reprodutiva. Idosos, adultos e adolescentes, sao levados, 
atraves do psicodrama e sociodrama a trabalhar as questoes que lhes 
interessam. Cerca de seis sessoes para cada grupo de 12 a 15 pessoas sao 
mais que suficientes para atingir a profundidade e o vinculo necessario para 
entrega, participacao e respeito pelo outro. Anedotas sexuais da comunidade, 
namoros em todas as idades, sexo seguro, autoerotismo, diferenca de 
comportamento sexual do homem e da mulher, ficar, machismo e feminismo, 
fantasias sexuais, homossexualidade, aditivos e acessorios sao os temas que 
mais aparecem nos grupos. A forma de trabalhar permite que a etica e 
estetica de sexualidade humana possam ser apreciadas, comentadas e 
resgatadas. Uma nova forma de comunicaçao e cumplicidade surge entre os 
membros do grupo. e de sexo mais seguro, responsavel e prazeiroso tambem.

Nazira Scaffi 
Campo Grande MS 
Médica especialista em Homeopatia, Ginecologia e Obstetrícia pela Febrasgo; 
formação em Psicodrama pelo Instituto Gaya de Campo Grande -MS.

Índice


Sexualidade - Terapia Sexual de Grupo Tematizada e por Tempo Limitado

Trabalho realizado por mim em conjunto com outra psicóloga onde revezamos a condição de diretor e ego-auxiliar, a unidade funcional.

Participei desse trabalho no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas no Projeto Sexualidade, que é coordenado pela Professora Doutora Carmita Abdo.

OBJETIVO:

Este recurso terapêutico de abordagem psicodramática objetiva o resgate da função sexual ou o seu incremento.

As disfunções sexuais constituem um dos três tipos de transtorno da sexualidade; os outros dois são transtornos de preferência e de identidade.

Essas disfunções perfazem mais de 95% dos casos que são: ejaculação precoce, disfunção erétil, anorgasmia, dispareunia, vaginismo, aversão sexual, falta de desejo entre outros.

Este trabalho visa atender de ambos os sexos, que preencham alguns pré-requisitos ou seja: disfunção sexual de origem psicogênica ou mista, inteligência pelo menos mediana, condição pessoal, econômica e profissional que viabilize à instituição semanalmente, ausência de comprometimento grave físico ou psíquico, recurso internos para elaboração, ausência de uso de medicamento com efeitos colaterais e uma parceria sexual estável.

O trabalhos de triagem é feito por psiquiatras e psicólogos participantes do projeto.

AÇÃO:

A terapia programada para o tempo limitado desenvolve-se ao longo de 16 a 20 sessões por meio de "jogos dramáticos" tematizados, os quais não se constituem, absolutamente, em !exercícios sexuais" mas trabalham a capacidade de cada integrante do grupo reconhecer a si e aos demais, avaliar e apresentar suas reais possibilidades e limitações, definir metas pessoais, eleger vínculos afetivo-sexuais positivos e romper internamente com os inoportunos ou incapacitantes, trabalhar situações temidas, reconhecer sua dificuldade e a do(a) parceiro(a) e tentar reconstituir as várias fases do desenvolvimento sexual (solitário e com parceria).

O grupo é formado de 10 a 12 participantes e prossegue independentemente das desistências. É um grupo fechado no qual até o final não poderá entrar mais nenhum participante.

RESULTADOS:

Ao longo dessa experiência, percebi que as pessoas passam a falar de seus problemas mais tranqüilamente espelham seus problemas através do grupo e se surpreendem que não são as únicas a defrontarem com tais dificuldades. Assim passam a ter atitudes e comportamentos que as levam a uma maior adequação com uma melhor qualidade de vida. Dessa forma adquirem maiores subsídios para remissão de seus sintomas. Aumentam o nível de informação mesmo porque o projeto proporciona programas pedagógicos concomitantes à terapia de grupo.

Fátima Maria Marques Pereira Trevisan 
Curso de Formação em Psicodrama - 1º ano 
Instituto Sedes Sapientiae

Índice


TEATRO EM SAÚDE MENTAL

Proposta de trabalho do Instituto de Psiquiatria do Recife--hospital psiquiátrico(1994-2000),com teatro de atores e de bonecos para as pessoas ali internadas(psicóticos e neuróticos graves, agudos e/ou crônicos),onde o objetivo era facilitar a comunicação interpessoal e a reinserção social, além da auto-expressão.

Realizamos também montagens de espetáculos folclóricos(pois a maioria era do interior)em datas comemorativas, confecção de bonecos, dramatização e apresentação de peças de teatro com bonecos, utilizando temas do cotidiano hospitalar e reinserção social.

Fizemos entrevistas e avaliação inicial com os usuários para encaminhamento e atendimento em grupos recreativos, auto-expressivos e socializantes. Promovemos passeios e visitas a teatros, parques, praia.

A discussão de casos clínicos e planejamento de estratégias era feita por equipe multidisciplinar. Estimulamos o desenvolvimento de outros papeis sociais. Pudemos observar em alguns usuários maior percepção de si e do outro, melhor observância às regras sociais, qualidade elaborativa, satisfação por criar e obter um produto, além de tornarem-se mais desinibidos e comunicativos.

(Apresentação de trabalhos em tema livre na Jornada de Psiquiatria do Recife e de poster no Congresso Brasileiro de Psiquiatria--1999,cujo tema era Teatro de Bonecos em Saúde Mental)


Alcione Melo Trindade--CRP(02/4736),Recife,Pernambuco

Índice


Terceiro Setor - PROJETO AGORA

Tema: Psicologia Clínica - 3º Setor

OBJETIVO DO TRABALHO:

Formar uma rede virtual de psicólogos, oferecendo o atendimento clínico à população menos favorecida, nos mesmos moldes e padrões do atendimento particular. 
Atender gratuitamente ao menos a um paciente.

AUTORES/ COORDENADORES:

- Ana Cristina Ventura Barbosa: Psicóloga, Psicodramatista e Professora-Supervisora pela FEBRAP. 
- Janete Maria Daruich de Souza: Psicóloga Psicodramatista e Professora-Supervisora pela FEBRAP. 
- Maria de Barros Lima: Assistente Social e Psicodramatista pela FEBRAP 
- Marilza Cortes Ceschin: Psicóloga com formação em psicodrama. 
- Priscila Valente Alonso: Psicóloga - Abordagem Junguiana

Instituição: Sociedade Santista de Psicodrama

SÍNTESE:

O PROJETO AGORA (Acompanhamento Gratuito Organizado em Rede de Atendimento), nasceu da iniciativa de quatro psicodramatistas, três psicólogas e uma assistente social, com a colaboração da psicóloga Priscila Valente Alonso e em parceria com o Rotary Club de Santos Porto.

É um Projeto da Psicóloga Clínica que promove a reflexão do papel social do psicólogo clínico, na área da saúde.

Entendemos que como profissionais de saúde, podemos levar o trabalho psicoterapeutico a uma parcela da população que não tenha acesso a esse processo.

O Projeto tem como grande responsabilidade a formação de uma rede que envolva paciente e terapeuta, tendo como "lócus" o consultório de cada psicólogo, registrado no C.R.P. e cadastrado na rede do projeto, independente de sua linha atuação.

O projeto tem cerca de nove meses de funcionamento e já contamos com mais de 50 profissionais, e 100 pacientes já passaram pela rede.

É função da equipe coordenadora promover, através de uma avaliação sócio-econômico, o encaminhamento do paciente ao profissional; bem como divulgar o projeto na mídia local, instituições públicas e de classe (Associação dos Psicólogos de Santos, que nos apóia) como também entre outros profissionais da área da saúde.

O psicodrama, através da ideologia e teoria de Jacob Levy Moreno, teve influência fundamental na elaboração desse projeto, principalmente quanto a ênfase da responsabilidade do ser humano.

De acordo com Moreno, em seu livro: "Palavras do Pai": Eu comecei a encantar-me cada vez mais e a perguntar-me da responsabilidade por mim mesmo e os cuidados próprio, a responsabilidade para com TODAS as pessoas mais próximas, meu pai e a minha mãe, minha irmã e o meu irmão, meus amigos, as pessoas da minha cidade e de outros lugares..."

Índice


A FEBRAP contribuindo para o Turismo no Nordeste

O projeto "Encantando o Turista" foi elaborado por Dulcinéa Cassis (do Depto. de ação em políticas públicas e sociais da FEBRAP) e desenvolvido pela instituição federada em Aracaju, a PROFINT - Profissionais Integrados Ltda.,em convênio com a Capacitação Solidária. Contou com a coordenação da psicodramatista e professora-supervisora Cybele M. Rabelo Ramalho e com a participação efetiva de seis psicólogos, estudantes da Formação em Psicodrama, na cidade de Aracaju (SERGIPE).

O projeto teve por objetivo capacitar ou treinar 30 jovens carentes para trabalharem em atividades na àrea de Turismo (nos papéis de recepcionistas de hotéis, garçons, camareiras, contínuos, mensageiros, etc). Foi desenvolvido durante 5 meses, de março a agosto de 2001, perfazendo um total de 500 horas. A metodologioa utilizada foi o Psicodrama Pedagógico, desenvolvido nas aulas tanto do Módulo Básico (Ética e Cidadania, Marketing Pessoal, Relacionamento Interpessoal, Inglês e Espanhol básicos, Esporte e Lazer, Meio Ambiente, Higiene Pessoal, etc), assim como nas aulas do Módulo Específico (Historia de Aracaju, Atendimento ao Turista, etc). A mesma metodologia foi aplicada nas 180 horas reservadas à supervisào da prática profissional, quando então os 30 menores desenvolveram seus estágios em 10 hotéis da cidade.Nestas supervisões, a metodologia do role-playng foi aplicada para o treinamento do papel profissional, problematizando as situações reais de aprendizagem, e facilitando o desenvolvimento da espontaneidade-criatividade neste papel.Os alunos treinados pelo Projeto foram bastante elogiados nos Hotéis onde exercitaram seus estágios, sendo muitos deles contratados pelos mesmos.

Durante todo o desenvolvimento do trabalho, foi privilegiada a vivência, a interação social, o desenvolvimento da afetividade grupal, da auto-estima e a facilitação do processo de comunicação interpessoal.O Projeto "Encantando o Turista" recebeu avaliação muito positiva da AAPCS (Associação de Apoio ao Programa da capacitação Solidária), entidade que financiou, apoiou e fiscalizou os projetos da Capacitação Solidária em todo o território nacional, destacando-se a PROFINT como possuidora de uma equipe integrada, que melhor soube trabalhar a dinâmica e o relacionamento interpessoal do grupo, servindo de modelo para os demais projetos em Aracaju. Inclusive os psicodramatistas foram convidados a orientarem outros projetos que estavam em dificuldades, assim como aproveitaram a experiência para completarem sua carga horária de supervisão no Curso da Formação, elaborarem monografias e pesquisas científicas relativas ao Psicodrama.

Entre tantas atividades de esporte e lazer desenvolvidos no projeto,destacaram-se os passeios turísticos,e organização de uma festa de São João, com dramatizações de casamento de matuto, protagonizadas pelos alunos. A oficina final de encerramento incluiu a apresentação de um Coral dramatizado, onde os 30 menores se apresentaram cantando e dançando para um grande público, 5 músicas do folclore sergipano, demonstrando todo o vigor espontâneo-criativo desenvolvido.

A experiência foi um rico desafio de aprendizagem para os psicodramatistas e para todos os menores envolvidos, sendo uma forma de consolidar e fortalecer a PROFINT - enquanto instituição - e o Psicodrama, enquanto modalidade de trabalho psicossocial, junto à comunidade sergipana.O processo educativo como um todo se constituiu também num ato político, onde se destacou a liberdade e o intenso diálogo entre os envolvidos no processo.

Cybele Maria Rabelo Ramalho 
Coordenadora da PROFINT

Índice


O Psicodrama tratando a violência doméstica

Síntese:

A análise do fenômeno da violência doméstica mostra sua grande abrangência e seu caráter multicausal. Acontece nas diferentes classes sociais e constitui-se um dos mais importantes germes da violência social, na média em que a família é o "lócus" de transmissão dos valores culturais. Formam-se indivíduos sem condições de introjeção e apreensão de limites e regra sociais que possam orienta-los em sua convivência social. Estas crianças e adolescentes irão reproduzir e ampliar a violência a que foram submetidos. Portanto, a violência doméstica constitui-se na face oculta da violência social - as vitimas de hoje, na maioria dos casos, tendem a se tomar os agressores do futuro.

Beatriz Dias Braga Lorencini